Publicado em: 09/02/2014
DONA LALI, UMA GUERREIRA À FRENTE DO SEU TEMPO
Por Edson Lima
Nerópolis - GO

Nascida no ano de 1934, filha de Dona Ridamar Gomes, nossa primeira Diretora do Grupo Escolar J.Valente, e do comerciante Severino Rodrigues, a menina Edmea Rodrigues da Silva, foi criada em um mundo exageradamente machista, não só pela época, registrada em nossa história como uma das mais injustas para com as mulheres, mas, principalmente pelo excesso de zelo e rigidez do pai, um paraibano, obcecado pelas ideias machistas da época.

Seu Severino participou ativamente de nossa história, sendo dele o maior estabelecimento comercial da década de 1930, tendo doado o terreno para a construção de nossa primeira escola.

Também ficou conhecido por uma atitude radical. Construiu uma passagem nos fundos de seu quintal, para que a esposa D. Rida, pudesse passar, ao se dirigir para o Grupo Escolar, onde era a Diretora, sem ser vista por outras pessoas.

Foi neste ambiente que Dona Lali foi educada, só não sendo ainda mais hostil, por contar com a compreensão e o amor da mãe, pessoa culta e bondosa, mas que também se via presa a costumes quase medievais.

A menina Edmea nunca se curvou diante das dificuldades da vida. Assim, dotada de grande inteligência e muita força de vontade, buscou nos livros o caminho para conquistar a liberdade, palavra pouco comum para uma mulher naqueles tempos.

Casou-se, ficou grávida e enviuvou-se quase que ao mesmo tempo. Tantas mudanças e o profundo golpe ao perder o marido assim tão cedo, não foram suficientes para desestimular aquela mulher, que fora moldada nas dificuldades da vida.

Porém, D.Lali, nunca mais voltou a se casar, empregando todo o seu tempo ao trabalho e a dedicação ao único filho, Dante Keller, a quem ela chamava, carinhosamente de “Barbozinha”, e a quem sempre amou, com toda a sua devoção.

Sua cultura e disposição para o trabalho, lhe valeu um convite para assumir um cargo no Correios e Telégrafos, função antes ocupada pelo marido.

Mais tarde, voltando a residir em Nerópolis, onde assumiu o cargo de chefe do Posto dos Correios, Dona Lali encontrou disposição para voltar a estudar, sendo aprovada entre os primeiros colocados no concorridíssimo vestibular para ocurso de direito, na Universidade Federal de Goiás, onde colou grau no início da década de 1980.

Mais uma vez a sua postura correta, inteligência e dedicação foram reconhecidos pelo Poder Público, surgindo daí um convite para se transferir para a Procuradoria da República, onde exerceu o importante cargo de Procuradora, até se aposentar.

Antes, porém, a nossa guerreira teve de enfrentar um dos mais temidos desafios, ao se ver diagnosticada com câncer em um dos seios. Naquele momento, a tecnologia e os tratamentos disponíveis para encarar esta terrível doença, eram, ainda, bem menos sofisticados que hoje. Mas a força e a garra daquele forte mulher se fizeram presentes mais uma vez. Surpreendentemente o mal foi vencido, garantindo assim uma invejável longevidade a D. Lali.

A aposentadoria, garantida pela doença, não serviu de desculpas para abandonar a luta. Assim, a Advogada Dra. Edmea Rodrigues, passou a trabalhar na profissão atuando em várias causas, principalmente no Fórum de Nerópolis.

Sempre preocupada com o futuro do filho Dante e de seus três netos, Dra. Edmea, conhecida também por seu comportamento ilibado, correto e marcado pelos mais profundos princípios de honestidade, cuidava de investir todos os seus ganhos na aquisição de imóveis, em especial na Capital, conseguindo formar um bom patrimônio.

No ano de 2013, com 79 anos de idade, Dona Lali nos deixou. No entanto, na mente de todos aqueles que tiveram o privilégio de conviver, ou mesmo de conhecer a sua história, ficou o testemunho de que tivemos em nosso meio, uma pessoa muito especial que, mesmo sem nunca ter empunhado uma bandeira de movimento feminista, foi exemplo para todos de que, nenhum costume, nenhuma lei injusta e nem mesmo o chamado “destino”, são capazes de acorrentar ou subjugar os direitos e a liberdade de uma mulher, que encara de frente os desafios, na busca de atingir os seus objetivos.




Já convalescente, Dra.Edmea ainda mantinha o estilo de pessoa firme e decidida



Aqui, um dos seus momentos de descontração, ao receber um presentinho



O filho Dante Keller, e o netinho de D. Lali. Rafael Keller



Dante, Cristina e Rafael



Cristina, a netinha muito amada



Eduardo Keller, o primeiro neto. Um verdadeiro "xodó da vovó."



Dante e o filho Gustavo Keller, netinho de Dona Lalí
 
PUBLICIDADE

>>> Outras Noticias <<<
Nerópolis in Foco  
Nerópolis In Foco. (62) 99917-2379
edson.neropolis@gmail.com